Perguntas Frequentes

Se precisar de dinheiro, devo vender ou empenhar os meus bens?

Nunca os deverá vender, quando pode obter um empréstimo igual ou mesmo superior ao da venda. Os bens continuam a ser seus, e mais tarde poderá recuperá-los com pagamentos suaves.

 

Porque é que não os deve vender?

Porque os seus bens estão sempre a valorizar-se.

Por exemplo: o ouro tem valorizado cerca de 50% ao ano. Isto é, se o ouro valer hoje 1000€, é muito provável e espectável que valha 1500€ daqui por um ano.

 

O que posso penhorar?

Basicamente tudo: ouro, jóias, pratas, moedas, relógios, porcelanas, móveis, quadros e antiguidades em geral.

 

Quanto é que posso pedir emprestado?

De 10 a 100.000 euros.

 

Quanto é que vou receber emprestado?

90% do valor da avaliação.

 

Como é que recebo o empréstimo?

Você recebe em dinheiro e no ato da assinatura do contrato.

 

Que documentos são necessários?

Deve fazer-se acompanhar do bilhete de identidade e do cartão de contribuinte ou do cartão de cidadão. No caso de estrangeiros: documentos de identificação.

 

Quanto tempo é que posso ter o bem empenhado?

Até 2 anos.

 

Em qualquer altura posso amortizar a dívida?

Em qualquer altura pode amortizar a dívida sem qualquer encargo adicional e pelo contrário usufruindo da redução proporcional do juro no empréstimo.

 

Em qualquer altura posso levantar o bem?

Em qualquer altura pode resgatar e levantar o seu bem sem qualquer encargo adicional.

 

Os meus bens ficam seguros?

Os seus bens são guardados em cofres bancários e protegidos com um seguro multirrisco.

 

Que lei me protege?

A atividade prestamista é regulamentada pelo decreto leu nº 365/99.

 

Onde tenho que me dirigir?

A qualquer das nossas lojas. Em situações justificáveis (grandes objetos, incapacidades físicas, etc.) também nos deslocamos a casa dos clientes.